Alfabetização infantil: entenda sua importância e confira dicas práticas

Plano de aula segundo a BNCCPowered by Rock Convert

Antes mesmo de saber o que são as letras, a criança pode começar a ser alfabetizada. O entendimento da linguagem, dos sons das palavras e até a simples observação das letras que as cercam já são o início dessa jornada rumo à alfabetização. Esse processo começa em casa, mas é na educação infantil que ele ganha novas perspectivas.

O desenvolvimento da fala, do repertório linguístico e, mais tarde, o aprendizado das habilidades de leitura e escrita podem ser muito influenciados pelas primeiras experiências que a criança tem com a linguagem em suas mais diferentes formas: falada, escrita, lida, cantada.

É por isso que é tão importante que a escola infantil construa um ambiente alfabetizador”.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

Na medida em que a criança tem contato com os diferentes formatos e linguagens, ela entende, por exemplo, que algumas palavras são mais compridas que outras, que algumas rimam e outras também começam com a primeira letra do seu nome. O aprendizado se confunde com brincadeira e, em pouco tempo, elas estão preparadas para aprender a ler e a escrever.

Alfabetização infantil tem hora certa?

Por mais que a criança aprenda de forma autônoma na medida em que vê e ouve todo tipo de linguagem, há um momento em que esse aprendizado precisa ser inserido em sua rotina de forma mais estruturada. E qual o momento certo de fazer isso?

Esse é um tema polêmico entre especialistas da educação infantil. Há quem defenda que a primeira infância deve ser livre desse ensino estruturado, privilegiando a brincadeira e atividades diversas. Outros acreditam que a alfabetização infantil pode ser antecipada por meio da inserção de alguns conceitos, como apresentação de letras e sílabas.

Independente do perfil da escola, é importante que haja um equilíbrio entre as atividades de cuidado, brincadeiras e ações direcionadas. A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) deixa claro que essa fase da educação tem como finalidade o desenvolvimento integral da criança “em seus aspectos físico, psicológico, intelectual e social”.

Já a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) exige que a alfabetização das crianças ocorra até o segundo ano do ensino fundamental.

Confira aqui o guia completo das competências previstas na BNCC

Muito além de decodificar símbolos

Adquirir a habilidade da leitura e da escrita é um passo importante para a criança, mas além de ser alfabetizada ela precisa passar pelo processo de letramento. Esse é o momento em que ela vai dominar a função social de ler e escrever. Ou seja, mais que decodificar letras, ela saberá utilizar a escrita e a leitura da forma adequada em situações práticas da sua vida.

O caso do aluno Gabriel, de 5 anos, que escreveu um “bilete” para sua mãe, se passando pela professora, é um ótimo exemplo do que é uma criança letrada. A história ficou famosa no Brasil, depois que a professora do menino publicou a foto do bilhete:

Formação ContínuaPowered by Rock Convert

Em entrevista ao site Lunetas, Ana Carolina Carvalho, que é formadora do Instituto Avisa Lá, afirma que Gabriel é alfabetizado e letrado porque, mais que juntar as letras certas, ele entende o tipo de texto que ele deveria escrever para se passar pela professora e qual a função social de um bilhete escolar.

A especialistas afirma que essa deve ser uma preocupação das escolas infantis: ensinar a juntar sílabas, mas também comunicar práticas de leitura e escrita. “Por que não temos tantos ‘Gabrieis’? Porque a escola ainda acredita que alfabetizar se reduz ao conhecimento do sistema de escrita”, afirma na entrevista ao site.

Dicas práticas para trabalhar a alfabetização infantil em sala de aula

Aprender brincando é um dos melhores caminhos para a alfabetização infantil. Por isso, as professoras devem aproveitar ao máximo diversos tipos de jogos, canções e recursos multimídia, como vídeos, desenhos e games. Além disso, o espaço físico da sala de aula também pode ser explorado: colar cartazes e letras nas paredes e fazer um cantinho da leitura são algumas ideias para se construir um ambiente alfabetizador.

Veja alguns exemplos:

Varal de letras

Papel, tesoura e varal. Esses são os materiais para “estender” algumas letrinhas na sala de aula. O varal de letras é uma solução simples, mas muito eficiente para expor o abecedário às crianças. Mas, lembre-se, ele deve ser baixo para que esteja ao alcance dos alunos. A ideia é que as crianças interajam com as letras, seja observando ou tocando nelas, acompanhando suas formas com os dedinhos.

Uma leitura por dia!

Ler com os alunos é uma atividade básica na educação infantil. Mas, a proposta pode ser muito mais rica se o material for diversificado. A ideia é convidar as crianças para uma leitura por dia. Na segunda-feira pode ser uma história em um livro; na terça uma receita de bolo; na quarta uma página de revista; na quinta um panfleto do supermercado e na sexta um texto no computador. O exercício ajudará as crianças a aumentarem seu vocabulário, entenderem as diferentes funções do texto, desenvolverem senso de cronologia, entre outros ganhos.

Jogar e aprender

Os jogos são cartas na manga do professor da educação infantil, pois ensinam com diversão. Eles também podem ser muito úteis na alfabetização infantil! Alguns exemplos de jogos que trabalham com as letras são caça-palavras, cruzadinha, dominó de palavras e forca. Além disso, o jogo da memória é uma ótima pedida: pode-se combinar palavras com imagens ou rimas. Os jogos eletrônicos e outras ferramentas digitais também ajudam a despertar o interesse das crianças. Veja uma lista de sugestões.

Fábrica de letrinhas!

Antes de pegar o lápis para escrever as letras, a criança precisa ter familiaridade com elas. Isso significa que elas precisam observar seu formato, sentir sua forma com os dedinhos e experimentar fabricar algumas delas. Para deixar essa atividade mais interessante, a professora pode convidar as crianças a criarem letras em diferentes materiais. Pode ser um dia de arte com tinta, glitter, papel picado, massinha ou argila. Ou, quem sabe, brincar com a comida e fazer letras de macarrão ou feijão. Se a escola tiver uma estrutura de cozinha, essa brincadeira pode virar uma experiência de culinária para fabricar biscoito com forminhas de letras.

Canções e parlendas para a alfabetização infantil

É muito comum a utilização de músicas na educação infantil. Elas são excelentes para estimular a criança a se movimentar e conhecer seu próprio corpo, mas também podem ser muito úteis na alfabetização. Isso porque, em muitas delas, a forma de cantar já marca a separação de sílabas, introduzindo a ideia de que palavras contém “pedacinhos” que podem ser divididos. As parlendas, que são versos infantis ritmados, também ajudam as crianças a conhecerem as palavras e as rimas, principalmente porque são muito repetitivas.

Se concentre no mais importante

Alfabetização infantil é uma tarefa trabalhosa e que vai exigir muita paciência e criatividade dos envolvidos. O problema é que, em muitas escolas, outros processos do dia a dia tiram o foco dos gestores e impedem que eles se concentrem no que é mais importante para a sua instituição: o aprendizado dos alunos. A forma mais simples de resolver esse problema é automatizando a gestão da sua escola! Quer saber mais sobre isso? Conheça o WGiz!

Curriculo segundo os campos de experiência da BNCCPowered by Rock Convert

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *