Atividades de musicalização infantil: qual o papel da música no aprendizado?

A música nasce com a criança. Seja no primeiro choro, nas cantigas de ninar ou nas brincadeiras com os pais e demais familiares, as notas se espalham pelo ar. Inconscientemente, já vão se formando as primeiras funções cognitivas que poderão ser altamente desenvolvidas por meio das atividades de musicalização infantil.

Sabendo-se que o processo de aprendizado necessita de habilidades mentais e emocionais para evoluir, a proximidade com os instrumentos e suas linguagens aumenta a capacidade do cérebro dos pequeninos de agir.

Assim, raciocínio, pensamento, memória, criatividade, além da expansividade do ser, crescem com as aulas musicais, despertando na mente a familiarização com o mundo das letras e números.

Sendo uma verdadeira aliada dos educadores, a música deve sempre ter espaço na sala de aula. Afinal, o aprendizado fica bem mais alegre e dinâmico. Quer conhecer muitas vantagens nessa disciplina? Então continue lendo este post!

Entenda a influência das atividades de musicalização infantil no aprendizado

Os movimentos corporais, assim como tudo o que as crianças ouvem, veem e se espelham, afetam diretamente na formação cognitiva, mental e sentimental. Ao participarem de aulas com instrumentos que casam com seus gostos ou com atividades que acontecem por meio da música, os alunos aceleram o processo de alfabetização e raciocínio matemático.

Recentemente, uma pesquisa da Universidade Northwestern, nos Estados Unidos, comprovou que quanto mais cedo as crianças tiverem contato com a música, melhores serão os avanços nas áreas preponderantes na formação do ser humano.

Por isso, os educadores precisam colocar a criatividade para funcionar, levando formas diferenciadas e atraentes para fazer os alunos do ensino infantil ficarem estimulados e interessados em didáticas que contam com as sonoridades. Quer saber mais benefícios? Siga com a gente!

Desenvolve a expressão corporal

Danças e canções formam um par perfeito. Brincadeiras, então, nem se fale. Jogos lúdicos, dinâmicas em grupo e contação de histórias devem sempre ser acompanhados por músicas que se sintonizam no enredo.

Assim, as crianças se movimentarão, desenvolvendo a elasticidade, o raciocínio lógico, o fortalecimento dos músculos e ainda a rapidez nos pensamentos.

Como o corpo fala, elas poderão se expressar melhor, com mais elegância e criatividade na comunicação, logo nos primeiros sete anos da vida.

Aumenta as possibilidades da linguagem

Falar é um processo natural, mas muitas vezes ele acaba sendo tardio para várias crianças. Com a influência de atividades de musicalização infantil, haverá uma evolução mais rápida na pronúncia correta das vogais e consoantes.

Além disso, a aproximação com letras e notas fará com que haja importantes formas de ampliar o vocabulário, sem considerar a influência positiva no entendimento das primeiras letras.

Promove a sensibilidade e a integração social

Da mesma forma que as músicas têm o poder de atingir a sensibilidade dos adultos, elas também contribuem para fazer com que as crianças valorizem mais os laços afetivos.

Além da formação da sensibilidade, as aulas aumentam o clima de integração entre os alunos, trazendo vivências sociais que combatem o exacerbado individualismo que predomina na vida moderna.

Por isso, os pais devem sempre ser um estímulo a mais para que os filhos tenham sempre contato com as atividades que envolvem a música. Afinal, o processo de formação de um ser humano envolve inúmeras metodologias e pessoas capacitadas e bem-intencionadas.

Atua na formação da memória

Especialistas afirmam que as funções cerebrais são potencializadas quando a música se mantém em cena no processo de aprendizado, sendo uma excelente parceira até mesmo na hora do recreio. Isso porque os sentimentos estão nitidamente ligados com a expansão da espessura do córtex cerebral.

Afinal, os treinamentos musicais conseguem fazer com que as crianças tenham mais controle sobre as emoções.

Cantando, por exemplo, elas desenvolvem a memória naturalmente, sendo também atraídas para um mundo de possibilidades proposto pelas notas e criatividade sonora.

Observando a grande importância das atividades de musicalização infantil, mesmo que você não seja um músico e sua escola não conte com uma disciplina específica, saiba que há diversas maneiras de integrar sons e ações pedagógicas, como mostraremos a seguir.

Saiba como despertar o interesse das crianças pela música

Muitas crianças já nascem em berço de músicos. No entanto, a maioria não conta com esse privilégio e precisa de estímulos.

Em sala de aula, você pode oferecer atividades rítmicas ao som de músicas ou até mesmo funções manuais com canções ao fundo.

Brincadeiras com dança são sempre bem-vindas assim como a sintonização entre o bater de palmas e pés. A coordenação motora e o autoconhecimento das crianças poderão ser estimulados por meio de músicas que citam as partes do corpo, seguindo com gestos.

Como a tecnologia também já vem enraizada nos pequeninos, softwares específicos e com contextos pedagógico e educacional podem ser bons aliados. Os jogos musicais e eletrônicos podem entrar em cena.

Estimular a formação de corais nas turmas, instigar a curiosidade dos alunos com questões naturais e envolventes, principalmente em uma boa interpretação das histórias contadas, melhora a inteligência e também a percepção das crianças.

Bandinhas rítmicas podem se enquadrar na atração da musicalidade pelos alunos do ensino infantil. Adivinhações, brincadeiras com água, jogos de silêncio e de mobilidade, atividades ao ar livre, plantio, jardinagem e culinária são excelentes parceiros na missão.

Podemos citar ainda jogos coletivos, pintura de desenhos com sons ao fundo e ações lúdicas que promovam o espírito de coletividade, ajuda mútua, responsabilidade e respeito pelo outro.

Veja como preparar as suas aulas com música

A primeira dica é conhecer minuciosamente as particularidades de cada criança antes de elaborar as suas atividades de musicalização infantil.

Ao saber os limites e potencialidades, você poderá observar inúmeros avanços no aprendizado, como quando um professor percebe que uma criança menos expressiva está aumentando a capacidade de interação ou que os pequeninos mais agitados e impulsivos começam a ter uma atenção duradoura no que fazem.

No caso da escolha de softwares, é preciso observar os programas que estejam realmente alinhados com os comprometimentos educacionais e que sejam de fácil manuseio e entendimento pelas crianças.

Uma pergunta deve sempre acompanhar o educador: este programa é realmente capaz de ensinar? Por isso, a busca por informações bem apuradas e capacitações são primordiais para os professores ou coordenadores que decidem unir a tecnologia com o desenvolvimento infantil.

Ao reunir todos os meios didáticos que estejam contribuindo para a junção entre música e aprendizado, certamente, os seus alunos serão pessoas que viverão com uma melhor percepção do mundo, de si mesmos e do que pode ser feito rumo à evolução humana.

Entre as práticas muito utilizadas na realidade da musicalização infantil estão os jogos eletrônicos. Conheça mais sobre este assunto nesse artigo do nosso blog!