Guia completo: como contratar professor de educação infantil

Encontrar a pessoa certa para trabalhar com crianças é um dos principais desafios das equipes envolvidas na gestão escolar. Muitas vezes, a dificuldade está em garantir um processo de seleção bem estruturado, que possa atrair educadores capacitados e reduzir a rotatividade do quadro docente. Foi pensando nisso que trouxemos um guia com dicas de como contratar professor de educação infantil.

Você perceberá que muitos dos cuidados necessários para a contratação são os mesmos adotados por colégios que oferecem todas as etapas da educação básica. A busca, portanto, deve estar focada em profissionais com perfil alinhado à filosofia da escola e que possam contribuir para a manutenção da qualidade do ensino.

Vamos começar? Acompanhe os próximos tópicos e saiba quais são as etapas envolvidas em todo o processo!

O papel dos professores na educação infantil

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, um professor não é alguém com o dom de ensinar. A facilidade para lecionar e se comunicar com os alunos são capacidades adquiridas por meio de muito estudo, prática e experiência em sala de aula. É por isso que as escolas devem valorizar profissionais que se preparam constantemente.

Importante considerar que o papel do educador vai além da tarefa de transmitir conhecimentos. Afinal, por ter contato direto com as crianças, ele também vai atuar na adaptação das turmas à rotina escolar e será o principal responsável por difundir valores considerados essenciais para a formação dos futuros cidadãos.

Veja abaixo algumas das funções exercidas pelos professores:

Desenvolver novas habilidades

É nos ambientes familiar e escolar que as crianças passam a descobrir seus primeiros interesses. Para contribuir com essa fase inicial de aprendizados, o educador precisa estar apto a desenvolver novas habilidades. Também é importante que ele tenha olhar apurado para identificar e aprimorar talentos já apresentadas pelos pequenos.

Propor diferentes atividades

Variações no modo de ensinar, aplicar exercícios ou executar brincadeiras são essenciais para expor as crianças a diferentes estímulos. Por isso, uma das dicas de como contratar professor de educação infantil é estar atento à proatividade do profissional — que permitirá manter as aulas sempre interessantes.

Participar da rotina escolar

O convívio com os colegas e professores resulta em uma nova rotina para as crianças. Assim como acontece em casa, é necessário cumprir horários e realizar tarefas específicas em períodos determinados. Para que essa experiência seja vivida de maneira positiva, o educador precisa estar próximo dos alunos e garantir que as obrigações sejam cumpridas.

Orientações para encontrar os melhores profissionais

A primeira dica para selecionar bons professores é não deixar a contratação para última hora. Afinal, os profissionais mais requisitados não costumam ficar disponíveis por muito tempo. É válido fazer sondagens frequentes no mercado, especialmente quando houver previsão de abertura de uma ou mais vagas.

Confira abaixo algumas práticas que podem facilitar esse processo:

Divulgar a vaga em sites

Páginas institucionais podem ser a porta de entrada para o recebimento de diversos currículos. Se os gestores optarem por divulgar vagas no site da escola, é importante que o façam em uma seção específica, geralmente nomeada como “trabalhe conosco”.

Nessa área, devem ser fornecidos dados para contato (telefone, endereço, e-mail) e, se possível, as principais orientações para envio do currículo. Os documentos recebidos podem ser guardados para compor uma espécie de banco de dados.

A divulgação também pode ser feita em sites específicos, geralmente procurados por pessoas que buscam uma oportunidade de emprego. Para filtrar melhor os perfis, a saída é caprichar na descrição da vaga: o que a escola espera do profissional, os benefícios garantidos, as obrigações do cargo etc.

Anunciar oportunidades nas redes sociais

Outra opção além dos sites ou da página da escola é fazer anúncios nas redes sociais. Mas como contratar professor de educação infantil dessa maneira? Pois bem, para esse objetivo o Linkedin se torna a melhor escolha, visto que se configura como uma rede mais voltada para negócios e contatos profissionais.

A vantagem é que o Linkedin não só permite fazer anúncios, como também facilita o acesso ao perfil de diferentes profissionais. Ou seja, em vez de esperar que algum professor se manifeste, a equipe responsável pela seleção pode ir à procura de novos talentos cadastrados na rede. Se algum deles chamar a atenção, basta entrar em contato e discutir as possibilidades.

Eleger alguém para fazer a triagem de currículos

Essa é uma estratégia que pode ajudar gestores a encontrar os profissionais certos para compor o corpo docente. Pode ser um profissional contratado apenas para fazer a triagem ou alguém que já faz parte da equipe da escola de educação infantil.

Antes de eleger a pessoa que vai realizar a triagem, é importante traçar um perfil ideal para o cargo. Com base nessas definições, será mais fácil filtrar os currículos recebidos e selecionar aqueles que se encaixam no que a gestão procura.

Solicitar indicações a outros docentes

Essa prática é bastante comum nas escolas menores e pode ser útil quando se tem dúvidas de como contratar professor de educação infantil. Muitas vezes, docentes que já trabalham no local têm o contato de colegas de profissão que estão à procura de uma vaga. É claro que o processo de análise de currículo também deve ser feito em casos de indicação, portanto, a gestão não tem nada a perder ao considerar essa possibilidade.

Principais etapas do processo de seleção

Após a seleção dos currículos, é preciso fazer análises minuciosas das informações contidas nos documentos e, em seguida, partir para as próximas etapas. Nesse momento os gestores podem optar por diversos métodos avaliativos, desde que permitam levantar o máximo de detalhes sobre o perfil do profissional.

Veja alguns processos presenciais que podem ser adotadas na escola:

Entrevista

Quem não sabe como contratar professor de educação infantil deve entender que a entrevista continua sendo uma das práticas mais importantes para a avaliação de um profissional. Também é um momento no qual a equipe de gestão tem a oportunidade de conhecer melhor o candidato, seja para entender seu modo de pensar ou para observar sua postura e comportamento.

É fundamental ter as perguntas preparadas antes do encontro para evitar o esquecimento de questões relevantes para a escola. Ao mesmo tempo, é preciso explicar ao profissional o que será esperado dele enquanto ocupar o cargo. Mesmo que a pessoa não saia bem na entrevista, merece um retorno com a justificativa.

Prova escrita

Esse tipo de avaliação visa mostrar o nível de conhecimento do profissional em relação às teorias e práticas da educação infantil. Afinal, mesmo que muitas escolas tenham filosofias bem definidas, às vezes, as turmas podem precisar de outra proposta de trabalho. Logo, o professor responsável precisa estar devidamente preparado.

É na prova que o candidato deverá apresentar soluções para diferentes problemas que costumam fazer parte do cotidiano das escolas. Podem haver perguntas do tipo: “como trabalhar com crianças que mordem e como contar aos pais?”. Além de mostrar qual seria a reação do educador em diferentes situações, a resposta no papel possibilita avaliar a qualidade da escrita.

Dinâmicas

Assim como a prova escrita, as dinâmicas também são utilizadas com o intuito de atestar conhecimentos sobre as teorias da educação e ações didáticas. Para esse tipo de avaliação, é possível escolher entre 6 e 10 candidatos a cada processo.

Em seguida, os profissionais selecionados devem responder a algumas questões sorteadas. O ideal é que cada um responda a sua pergunta, mas nada impede que os demais integrantes do grupo complementem as informações. Por fim, os candidatos aprovados na dinâmica são submetidos a rápidas entrevistas individuais para avaliar o perfil técnico de cada um.

Aula teste

Uma experiência dentro de sala pode ser excelente indicador da qualidade das aulas de um candidato. Por isso, também é uma prática que entra na lista das dicas de como contratar professor de educação infantil.

Muitas escolas submetem os profissionais a testes antes de concretizar a contratação. Esse processo costuma ser realizado após as outras avaliações (entrevista, prova, dinâmica) e envolve, basicamente, a execução de alguma atividade pedagógica com os alunos.

Durante a atividade, os gestores podem atentar para a desenvoltura do candidato, modo de se expressar (gestos, fala, volume da voz), didática e outras características consideradas essenciais para uma experiência positiva em sala de aula. Um bom professor estará preparado para encarar esse tipo de trabalho.

Requisitos necessários para contratar um professor

É fato que cada escola tem suas próprias demandas, mas existem características que são desejáveis em qualquer profissional da educação infantil. Por isso, antes de falar sobre os requisitos da contratação de professores, precisamos entender os três pilares que interferem nessa definição. Veja abaixo quais são e por que são importantes:

Necessidades da escola

O que é prioritário no momento? Faltam profissionais para trabalhar com uma disciplina específica? Quantos professores precisam ser chamados? Todos são questionamentos importantes para dar início ao processo de contratação. A partir dessas respostas, a equipe de gestão saberá no que focar primeiro para ter bons resultados.

Com uma noção da área que exige novos educadores, é possível partir para as próximas perguntas que vão nortear a seleção. Por exemplo: o candidato precisa ter fluência em outros idiomas? Deve ter condições de operar aparelhos eletrônicos utilizados em sala de aula? Qual é o nível mínimo de formação desejado? Entre outras questões.

Exigências do mercado

Outro pilar a ser considerado antes de definir como contratar professor de educação infantil é a demanda do mercado. Como qualquer área, a educação também passa por mudanças, e isso reflete nas competências e valores buscados nos profissionais.

Uma estratégia interessante — além de observar e acompanhar o mercado — é pesquisar vagas ofertadas em outros colégios para ter uma noção dos principais requisitos apontados nas descrições. Com base nisso, é possível escolher as exigências mais recorrentes para compor a lista da escola e mantê-la alinhada ao contexto atual dos professores.

Ações futuras

O terceiro pilar tem relação com o que a escola deseja para o futuro, ou seja, com os objetivos a serem alcançados em curto, médio ou longo prazo. Por exemplo: se há necessidade de manter ações tradicionais para garantir a ​aprendizagem dos alunos, os gestores podem focar em perfis que se encaixem nessa realidade.

Por outro lado, se a ideia é montar um corpo docente mais coeso e unido, talvez a busca por educadores mais jovens e dispostos a aprender seja a melhor escolha. Isso porque pessoas com pouco tempo de atuação tendem a ser mais abertas para capacitações e desenvolvimentos focados no cargo exercido.

Independentemente dos objetivos, é fundamental pensar em ações que possibilitem tais mudanças e contar com um grupo de profissionais capazes de acompanhá-las. Do contrário, as chances de surgirem divergências serão grandes.

6 dicas de como contratar professor de educação infantil

As práticas aplicadas no processo de seleção trazem informações relevantes sobre os candidatos à vaga de professor. Para que os avaliadores fiquem atentos a cada detalhe, listamos algumas dicas baseadas nos requisitos que mais se destacam atualmente. Acompanhe e saiba por onde começar:

1. Avaliar a experiência anterior

Não importa se o candidato é jovem ou atua há muito tempo na área: é necessário avaliar sua experiência anterior para ter noção de sua trajetória no campo profissional. O perfil de um professor que se dedicou a diversas escolas em um período curto pode indicar certa instabilidade ou mudança de foco na carreira, por exemplo.

Dependendo do caso, vale pedir referências para ex-gestores, supervisores ou colegas que trabalhavam com o candidato. Esse diálogo com antigos parceiros pode fornecer dados importantes sobre o comportamento do profissional em sala, métodos utilizados para a avaliação na educação infantil, entre outros detalhes relevantes.

2. Observar as características pessoais

É praticamente impossível encontrar candidatos que atendem a todas as expectativas dos gestores. Por isso, o ideal é focar em perfis que apresentem, pelo menos, alguns pontos em comum com a escola.

Cabe destacar que as principais características pessoais podem ser identificadas ainda no currículo e na entrevista (ex: dinamismo, flexibilidade, inovação, resiliência, comprometimento, integridade etc.).

Escolher educadores que possam atender parte dos objetivos da escola já é um bom começo. Aos poucos, durante a rotina de trabalho, é possível construir um relacionamento mais próximo com esses profissionais e adaptá-los à rotina existente.

3. Analisar a postura do profissional

Outra dica essencial sobre como contratar professor de educação infantil é analisar a postura dos candidatos em relação aos colegas de profissão, gestores e alunos. Nesse processo, uma das características mais importantes a buscar é o espírito de coletividade. O motivo é simples: em algum momento, todo docente precisará trabalhar em equipe.

O incentivo à integração entre profissionais é cada vez maior na área da educação. Isso porque muitas escolas perceberam que quando um indivíduo não vai bem, outros tendem a sair prejudicados. Logo, o sucesso de qualquer prática (pedagógica ou não) exige envolvimento e contribuição de toda a comunidade escolar.

4. Atestar o domínio de novas tecnologias

Em um mundo conectado e repleto de informações, não dá para ignorar o uso de tecnologia em sala de aula. Aplicativos, softwares, sites educativos, jogos e outras ferramentas já fazem parte do cotidiano de muitas escolas e devem ser aproveitados pelos professores da nova geração.

Nesse sentido, é importante se certificar de que o candidato domina os recursos tecnológicos mais básicos — o interesse por novas ferramentas já é um ponto positivo. Programas mais complexos e aparelhos específicos podem ser estudados posteriormente, contanto que auxiliem no aprendizado e atraiam o interesse dos alunos.

5. Avaliar o controle em sala de aula

Não importa a faixa etária das crianças ou o número de alunos por turma: o educador selecionado precisa ter domínio de classe. Isso é fundamental para que consiga dar início aos trabalhos sem interrupções ou outros problemas que possam prejudicar o aprendizado dos pequenos.

Por isso, ao pensar em como contratar professor de educação infantil, a equipe da escola deve estar atenta ao modo como cada profissional conduz suas aulas. É preciso observar se o candidato consegue trabalhar regras que promovam a disciplina dentro da sala de aula, sempre de maneira justa e democrática.

Além disso, visando o bom andamento das atividades, o futuro professor deve deixar claro as consequências do não cumprimento das regras. Mesmo crianças pequenas conseguem entender a importância de seguir determinadas rotinas e processos, e isso deve ser estimulado desde cedo pelo docente.

6. Verificar se há busca por atualizações

Tempos atrás, muitos profissionais se contentavam com a obtenção do diploma e paravam de estudar após tal conquista. Hoje essa postura não funciona mais, visto que o mercado exige pessoas altamente capacitadas e preparadas para lidar com as mudanças — que são cada vez mais rápidas!

Nesse sentido, é esperado que um bom professor tenha interesse em continuar seus estudos, seja fazendo cursos, especializações e treinamentos específicos; aprimorando as habilidades existentes ou participando de congressos e seminários de educação.

Um profissional que se mantém atualizado é capaz de trazer sempre novidades a seus alunos. Portanto, priorizar perfis que se dedicam a isso pode representar um diferencial para qualquer escola preocupada com uma formação de qualidade.

Competências a serem avaliadas nesses profissionais

Os professores atuam como mediadores para que as crianças se apropriem dos conteúdos propostos no plano de aula. Nesse sentido, precisam apresentar competências adequadas para garantir que as atividades proporcionem o desenvolvimento físico, emocional, social e cognitivo dos alunos.

Em um mundo que vem sendo marcado pela convergência de diversas tecnologias (robótica, inteligência artificial e automação de sistemas), as mudanças na educação infantil também se tornam visíveis: novos métodos de ensino, uso da internet e de ferramentas digitais, desenvolvimento de habilidades que levem à inovação etc.

Portanto, outra dica de como contratar professor de educação infantil é aliar antigas e novas competências. Ou seja, unir aptidões tradicionalmente cobradas dos educadores às habilidades desejadas nos profissionais da nova geração. Na lista de competências prioritárias, estão:

  • propor e dirigir situações de aprendizagem: ter conhecimento dos conteúdos a serem trabalhados, atuar a partir das representações das crianças, planejar atividades que gerem diferentes estímulos;
  • acompanhar a evolução do aprendizado: criar situações-problema ajustadas ao nível das crianças, observar os alunos propondo soluções na aula e tomar decisões que ajudem a turma a progredir;
  • trabalhar a diversidade: reconhecer e valorizar a heterogeneidade da turma, conhecer as limitações e potenciais de cada aluno, fornecer apoio para grupos com maior dificuldade e estimular a cooperação entre colegas;
  • envolver os alunos nas atividades: despertar na criança o desejo de aprender, incentivar a descoberta, desenvolver a capacidade de autoavaliação e demonstrar a importância/sentido do trabalho escolar;
  • participar da administração da escola: dirigir e coordenar processos em conjunto com a equipe de gestão, contribuir com a elaboração de projetos e administração de recursos, organizar reuniões e debates;
  • manter os pais informados: envolver as famílias no dia a dia das crianças para que acompanhem sua trajetória acadêmica e atuem na construção de novos saberes;
  • enfrentar dilemas éticos da profissão: lutar contra preconceitos e discriminações na escola, prevenir a violência, elaborar regras de convivência, desenvolver a solidariedade e o sentimento de justiça.

Por fim, como já falamos aqui no blog, há competências específicas que vêm sendo cobradas nos últimos tempos — relacionadas ao educador do século XXI. Abaixo estão as cinco que mais se destacam e que devem ser consideradas pela equipe de gestão ao definir como contratar professor de educação infantil:

  • comunicação: o educador deve ter capacidade de interpretação e saber se expressar por meio das diversas linguagens existentes. A boa comunicação é a chave para trocar informações e conhecimento;
  • criatividade: um professor criativo leva variedade para a sala de aula e sabe como estimular a imaginação de seus alunos. A habilidade para criar é essencial nos dias atuais e pode ser trabalhada com diversos exercícios;
  • colaboração: todos os profissionais que integram o corpo docente devem contribuir para o processo educativo e respeitar a rotina dos demais grupos da escola (alunos, gestores e funcionários);
  • pensamento crítico: o professor que sabe fazer as perguntas certas, reconhecer problemas e analisar situações sob diferentes perspectivas consegue desenvolver essas mesmas habilidades em seus alunos;
  • inovação: essa competência tem total relação com o uso da tecnologia nas escolas, mas não é só isso. A inovação também permite experimentar novas técnicas de ensino e atividades que possam enriquecer as aulas.

Perceba que muitos dos requisitos remetem a um profissional com conhecimento aprimorado e atualizado — justamente o que a sociedade precisa para formar cidadãos e preparar trabalhadores das mais diversas áreas.

Com as dicas, esperamos ter contribuído com o processo de seleção na sua escola. Use-as como ponto de partida e compartilhe-as com outros agentes envolvidos no processo para que entendam como contratar professor de educação infantil.

Se gostou do tema deste artigo e deseja ter acesso às futuras publicações, assine a nossa newsletter agora mesmo!