Como fazer do horário de recreio um momento de diversão e aprendizado?

Não é novidade que o recreio é um dos momentos mais aguardados do dia pelas crianças: é a hora de ir ao parquinho, de lanchar, de brincar no pátio, de jogar e de interagir com os colegas de sala ou, até mesmo, de outras séries e períodos.

Mas você sabia que também é possível transformar esse tempo livre em um exercício de aprendizagem? Por meio de atividades educativas e lúdicas, devidamente dirigidas pelos professores, a hora do recreio pode sim se tornar uma excelente oportunidade de integração e de aplicação dos conhecimentos aprendidos em sala de aula.

Se você se interessou por esse assunto, então continue a leitura deste post! Aqui vamos falar sobre a importância do recreio no período de aulas e como a escola pode preencher esse momento com atividades que reúnam aprendizado e diversão. Confira!

Qual a importância de oferecer atividades educativas na hora do recreio?

Em um mundo como o atual, em que as crianças passam a maior parte de seu tempo livre em seus celulares, imersos em jogos, vídeos e aplicativos, organizar atividades lúdicas para o intervalo entre as aulas pode representar uma excelente alternativa para desconectá-los e proporcionar experiências diferenciadas e recreativas.

E a escola, como um espaço de socialização, convivência e troca de aprendizagens, tem um papel de grande relevância no desenvolvimento intelectual, cognitivo e social dos alunos da educação infantil.

Por isso, é muito importante que o recreio seja reconhecido como uma pausa fundamental e extremamente necessária para que os alunos possam se desligar das tarefas e lições por alguns momentos e para que os conhecimentos adquiridos em sala possam ser devidamente absorvidos pelo cérebro.

Do ponto de vista dos diretores e dos coordenadores, esse intervalo pode funcionar como um bom ponto de observação das relações interpessoais entre as crianças, em que é possível notar aspectos significativos como a formação de grupos, o isolamento de alguns alunos, além de acompanhar o surgimento de lideranças e também de conflitos.

Nesse cenário, a criação de atividades para preencher o tempo livre entre as aulas é uma excelente alternativa para estimular as habilidades de convivência, de integração e a criação de valores importantes para a formação dos alunos como amizade e respeito às diferenças.

Qual é o papel dos educadores nesse processo?

Tanto os diretores quanto os coordenadores da educação infantil têm uma função primordial ao pensar em atividades que sejam educativas e que atinjam o objetivo de reunir aprendizado e entretenimento, respeitando, no entanto, o momento de relaxamento e descontração que o recreio representa.

A participação dos professores, por sua vez, também é um fator essencial para garantir que essas atividades sejam desenvolvidas e aplicadas de acordo com o planejamento proposto pela equipe de gestão escolar.

Afinal, eles serão os responsáveis por orientar as atividades, incentivando e acompanhando a participação dos alunos e também os resultados obtidos para avaliar a continuidade ou a necessidade de mudanças na aplicação das brincadeiras, jogos e demais iniciativas criadas, garantindo, ainda, a integração destas com os conteúdos aprendidos em sala de aula.

Como transformar a hora do recreio em um momento de aprendizagem e diversão?

Agora que já apresentamos a importância de trazer atividades educativas para o recreio e falamos sobre o papel dos gestores e dos professores na criação e na aplicação dessas dinâmicas, nesse último tópico, vamos dar alguns exemplos práticos de atividades que podem ser desenvolvidas na sua escola.

Aqui, optamos por dividir as sugestões seguindo algumas das matérias que compõem o currículo disciplinar da educação infantil para demonstrar, também, a possibilidade de integrar essas disciplinas com os exercícios propostos. Confira.

Artes visuais

Em conjunto com a disciplina de artes, é possível elaborar ideias simples e práticas que possam exercitar a criatividade além de incentivar o despertar dos diferentes talentos das crianças. Nesse aspecto, a escola pode organizar eventos diferenciados como:

  • exposições dos trabalhos artísticos realizados em aula;
  • criação de instrumentos musicais com materiais recicláveis;
  • apresentações de dança;
  • festivais de música em que os alunos possam cantar e tocar instrumentos.

Nessa proposta, é importante ressaltar a participação dos professores organizando as oficinas e apresentações ou, até, compartilhando os seus próprios talentos, como forma de se aproximar dos alunos e incentivar um maior envolvimento nas atividades e eventos.

Educação Física

Devido ao aspecto lúdico que é próprio da disciplina, o ramo da educação física tem propostas interessantes e bastante diversificadas para trabalhar aspectos como a saúde física, a coordenação motora e a socialização das crianças durante o período do recreio.

A partir da utilização de sucata ou de materiais recicláveis, é possível promover oficinas para a construção de brinquedos, como por exemplo, um jogo de boliche com garrafas pet, sapatos de lata, bilboquês ou vai-e-vens.

A escola também pode disponibilizar materiais como mesas de pingue-pongue e de pebolim, organizar campeonatos mais dinâmicos, como queimada, peteca, corrida, campeonatos de pular corda ou, ainda, jogos de tabuleiro como xadrez ou damas, para estimular o raciocínio dos alunos.

Outras disciplinas

Matérias como ciências, geografia, matemática e português também podem render brincadeiras muito divertidas e educativas que podem ser aplicadas durante o intervalo de aulas dos alunos da educação infantil.

Bons exemplos são os jogos da memória, que trabalham temas como formação de palavras, identificação de figuras, cores, formas, lugares ou equações simples como soma e subtração, os quebra-cabeças com partes do corpo humano, ou jogos de lógica, que estimulam a rapidez de raciocínio e associação.

É importante lembrar, ainda, que os jogos e brincadeiras escolhidos devem respeitar as capacidades intelectuais e motoras das diferentes idades e ser um complemento às aulas — sem sobrecarregar as crianças e sem prejudicar o seu rendimento escolar.

Viu como é possível deixar a hora do recreio mais educativa, sem deixar a diversão de lado?

E se você gostou desse artigo e tem interesse em ficar por dentro de outras informações interessantes sobre o universo da educação infantil, além de conferir ótimas dicas sobre gestão escolar, não deixe de acompanhar as nossas publicações nas redes sociais: estamos no Facebook e no LinkedIn. Até o próximo post!