Mais do que nunca, é tempo dos professores desenvolverem competências digitais

Plano de aula segundo a BNCCPowered by Rock Convert

De um dia para o outro as coisas mudaram radicalmente na rotina das escolas de educação infantil. A pandemia do Coronavírus e o isolamento social levaram a paralisação temporária das instituições de ensino e a uma mudança que ninguém imaginava: de repente todos precisavam desenvolver competências digitais em tempo recorde.

É que as aulas, agora, só podem acontecer no ambiente virtual. Sem muita previsão de quando as coisas voltarão às suas rotinas habituais, as escolas se viram obrigadas a adaptarem a sua modalidade de ensino presencial para o online e oferecer atividades remotas. É uma maneira nova de prezar pela educação, garantir um ambiente de aprendizagem e manter os alunos estudando regularmente.

Se há dois meses os professores estavam em sala de aula, cercados por alunos e com pastas cheias de atividades manuais, hoje, estão em casa, se adaptando às ferramentas digitais, aprendendo a usar programas de transmissão online e construindo todo o ensino ao formato virtual.

A pandemia acelerou uma necessidade já prevista pelos especialistas em educação e exigida pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC): o desenvolvimento de competências digitais, tanto para professores, quanto para alunos. 

E como isso tem acontecido na prática? Há vantagens nessa transformação digital “forçada” que as escolas foram obrigadas a fazer? E como os professores podem se capacitar para se adaptar a esse novo cenário produzido pelas mudanças exigidas pelo coronavírus? É sobre isso que vamos falar neste artigo!

Enfrentando a crise utilizando a tecnologia como aliada

As portas físicas das instituições de ensino estão fechadas por tempo indeterminado no Brasil. Essa é uma realidade e não há como lutar contra ela. Depois de entender isso e perceber que esse tempo de isolamento poderia ser mais longo do que se imaginava, muitas escolas de educação infantil começaram a se movimentar em busca de novas metodologias de ensino.

O centro das atenções é o ambiente virtual. Afinal, por meio dele é possível chegar aos alunos nesse momento. Escolas que já tinham softwares para a comunicação com as famílias tiveram menos dificuldade, mas todas, de alguma forma, precisaram se reinventar em busca de plataformas virtuais de aprendizagem.

De casa, os professores gravam com seus celulares: aulas em lives, vídeos de contação de histórias, músicas e atividades que ajudam no desenvolvimento psicomotor. Muitos utilizam as ferramentas disponíveis em ambientes como o Moodle para postarem material digital, e links de vídeos e áudios da internet.

É claro que isso não tem sido fácil: boa parte dos professores não tinha o hábito de trabalhar e manusear a tecnologia de aprendizagem e, aqueles que sabiam, não estavam habituados a fazer isso no âmbito profissional. Afinal, uma coisa é usar redes sociais para entretenimento, outra é saber utilizar as ferramentas de forma eficiente para a aprendizagem em ambiente virtual.

Em muitas escolas esse processo foi mais lento justamente porque a ideia do desenvolvimento de competências digitais não estava claro para a gestão. Os professores não foram capacitados e as instituições, muitas vezes não têm  infraestrutura e equipamentos.

O que é competência digital?

A competência digital é uma das oito competências essenciais para o desenvolvimento ao longo da vida, segundo a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). A ideia é que ela é necessária para a comunicação, relacionamento, vicência cultural e desenvolvimento de atividade produtiva na atual sociedade marcada pela revolução tecnológica.

No artigo Competências Digitais na Educação: Uma Discussão Acerca do Conceito, as autoras trazem as contribuições de alguns teóricos sobre o que é a competência digital. Elas citam ITU (2005) que diz que se tratam de “conhecimentos, criatividade e atitudes necessárias para utilizar as mídias digitais para a aprendizagem e compreensão da sociedade do conhecimento”. 

A verdade é que existem diversos níveis para se alcançar dentro dessa competências. A jornada começa com a exposição à tecnologia, passando pela alfabetização e letramento digital, pela total integração das ferramentas e desenvolvimento de uma cidadania digital, até o nível de transformação, que é quando o indivíduo é capaz de inovar na utilização da tecnologia.

A importância das competências digitais na educação infantil  

O desenvolvimento da competência digital na educação é não apenas importante, como uma exigência da BNCC, que a coloca como uma das 10 competências gerais a serem desenvolvidas nas escolas. 

Formação ContínuaPowered by Rock Convert

Ela aparece como a 5ª competência no documento e é descrita assim: “Compreender, utilizar e criar tecnologias digitais de informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas práticas sociais (incluindo as escolares) para se comunicar, acessar e disseminar informações, produzir conhecimentos, resolver problemas e exercer protagonismo e autoria na vida pessoal e coletiva”.

Fica claro que a incorporação das tecnologias digitais na educação não se restringe à sua utilização como ferramenta ou suporte. A ideia é que elas também sejam apresentadas como fim no processo de ensino, de maneira que a criança construa conhecimento sobre a tecnologia e saiba utilizá-la de forma crítica e criativa.

Leia também: A transformação digital e os seus impactos na educação infantil

O desenvolvimento das competências digitais são essenciais para a construção do cidadão desse novo mundo, que já foi totalmente alterado pela Revolução Digital

As crianças hoje sabem manejar tecnologias digitais melhor que os adultos e, quando o professor  adentra a esse mundo e o utiliza como meio de aprendizagem, ele facilita o processo de construção do conhecimento do aluno, uma vez que ele parte da realidade dela e a aplica no processo de aprendizagem.

É importante que a criança aprenda a usar as tecnologias educativas, pois ela já usa tecnologia desde cedo para garantir a eficiência de sua comunicação na sociedade e inserção futura no mercado de trabalho, mas também seu comportamento ético e reflexivo na utilização dessas novas mídias.

Como os professores e a escola devem se preparar?

Se o desenvolvimento das competências digitais é uma exigência da BNCC para o ensino nas escolas, então a conclusão natural é que ele é um requisito essencial para os professores também. Isso ficou claro na pandemia, mas a verdade é que ela era necessária antes do Coronavírus e continuará sendo depois dele.

Cabe à gestão das escolas investir em capacitação e aos professores buscarem se aperfeiçoar no tema. Uma dica é  ir atrás do que existe disponível online e até gratuitamente. Veja algumas sugestões:

Aprenda com quem é referência

Grandes empresas de tecnologia como Google, Microsoft, Apple e Samsung oferecem cursos gratuitos para professores e certificações oficiais, que melhoram o currículo do professor. Os temas vão desde dicas de utilização de apps até assuntos mais complexos como programação, internet das coisas e criação de robôs. Tudo é ensinado de forma didática e considerando o lugar do professor, que não é um especialista em tecnologia.  

Leia: Escolas podem usar Alexa para enriquecer currículo na educação infantil

Veja o que o governo tem a oferecer

O Programa Nacional de Formação Continuada em Tecnologia Educacional (ProInfo Integrado) é um programa de formação do Ministério da Educação voltado para o uso didático-pedagógico das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) no cotidiano escolar. São ofertados os seguintes cursos: Introdução à Educação Digital; Tecnologias na Educação; Elaboração de Projetos; Redes de Aprendizagem e Projeto UCA (Um Computador por Aluno). 

Busque informação de qualidade na internet

Buscar conteúdo na internet pode ser um desafio, afinal há coisas demais no Google e no Youtube e não é fácil selecionar o que faz sentido. A saída é procurar por plataformas confiáveis como o blog da AIX, mas também outras iniciativas como o Porvir, que é uma organização sem fins lucrativos que produz conteúdo sobre inovações educacionais no Brasil. Nesse período da Covid-19, o site traz uma cobertura especial sobre educação em tempos de Coronavírus.

Invista em avaliação de competências digitais

Para investir no aperfeiçoamento dos professores é importante também saber em que estágio eles estão. Nesse sentido, o Guia EduTec pode ajudar com uma ferramenta gratuita de autoavaliação de competências digitais de professores da educação básica. O resultado mostra o perfil do docente em cinco níveis: exposição, familiarização, adaptação, integração e transformação.

Abrace a transformação digital

Para desenvolver as competências digitais para alunos e professores, as escolas também precisam abraçar, de vez, essa cultura digital. Pensando nisso e no momento desafiador vivido pelas instituições de ensino nesse momento, a AIX Sistemas criou a campanha Educação Infantil Mais Forte, que  vai selecionar escolas para utilizarem as funcionalidades do sistema de gestão WGiz e o app de comunicação entre escola e família Extraclasse gratuitamente por seis meses. 

Curriculo segundo os campos de experiência da BNCCPowered by Rock Convert

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *