O Coronavírus na educação infantil: como enfrentá-lo?

Oficializado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma pandemia, o Covid-19, causado pelo coronavírus, é o tema mais falado e temido pela população mundial nos primeiros meses do ano de 2020. A doença foi descoberta em dezembro de 2019 em Wuhan, na China, e se espalhou rapidamente pelo mundo.

No Brasil, o vírus também avança, o que alerta as escolas de educação infantil, uma vez que o ambiente da sala de aula e o convívio tão próximo das crianças pode ajudar a propagar a doença.

Diante de tantas informações, gestores escolares ficam perdidos sobre como agir. Qual o papel da escola no combate ao Coronavírus? Como os gestores escolares e professores devem proceder em relação ao ensino e à prevenção? Qual o cuidado específico com crianças? É sobre isso que falamos neste artigo. Confira!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

O que se sabe sobre o Coronavírus

Coronavírus é o nome que se dá a uma família de vírus, cuja estrutura tem formato de coroa. A doença causada por ele é chamada de Covid-19 e foi classificada como pandemia pela OMS no dia 11 de março de 2020.

Essa nomenclatura quer dizer que a doença tem uma disseminação global. No dia em que a Covid-19 foi anunciada como pandemia havia registro de que o vírus circulava em 114 países, tendo infectado 115 mil pessoas e matado 4 mil. Até início de março não havia constatação de mortes causadas pelo vírus no Brasil.

A transmissão do vírus se dá pelo ar, pelas vias respiratórias, além de contato físico com pessoas infectadas ou superfícies contaminadas. Os principais sintomas são tosse seca, febre e congestionamento nasal, mas podem evoluir para insuficiências respiratória e renal. O principal grupo de risco são pessoas idosas.

Ainda não existe tratamento específico contra a Covid-19 e os infectados recebem apenas medicamentos contra os sintomas, devendo permanecer em casa. Somente casos em que a doença avança é necessária a internação.

Crianças e Covid-19

A preocupação das escolas de educação infantil se dá porque crianças tendem a ser mais suscetíveis a doenças. Não é raro vê-las com congestionamento nasal ou tossindo na sala de aula. Mas, em relação ao Coronavírus, elas parecem ser menos afetadas e, até o momento, não foram classificadas como grupo de risco.

Uma justificativa pode ser o fato de que o sistema imunológico delas é robusto justamente porque seus organismos entram em contato com vários tipos de vírus pela primeira vez. Por outro lado, isso aumenta as chances de elas contraírem o vírus, não manifestarem os sintomas e passarem a transmitir a doença.

Mesmo que as crianças não estejam em grupos de risco da Covid-19, a recomendação é privá-las o máximo possível de exposição à doença. O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, alertou, inclusive, que, embora sejam em menores proporções, há sim registro de mortes de crianças pelo coronavírus e, por isso, não se pode baixar a guarda em relação à prevenção.

O papel das escolas de educação infantil em relação ao Coronavírus

Diante da disseminação da doença, as escolas infantis têm um papel importante, principalmente na orientação das crianças sobre a prevenção. Ensinar sobre o que é o vírus e dar dicas práticas para evitar o contágio é essencial.

Além disso, a informação pode evitar que as crianças fantasiem em relação ao vírus e fiquem ansiosas. Há quem pense que as crianças não assimilam o que está acontecendo, mas a verdade é que elas estão, o tempo todo, colhendo fragmentos de informações e podem entrar em pânico se não forem adequadamente orientadas.

Leia também: Fake news na educação: como educar as crianças?

É muito importante que a escola também mantenha seus ambientes sempre higienizados. Objetos de uso coletivo como tablets ou brinquedos devem ser evitados ou passarem por constante limpeza. Não podem faltar nos banheiros sabão líquido e toalha de papel para que os funcionários lavem as mãos. O álcool em gel também deve ser disponibilizado em locais estratégicos.

Além disso, é importante que os gestores educacionais estejam atentos às recomendações das secretarias de educação, das instituições que representam as escolas e os professores e, é claro, da OMS. Em vários estados as aulas das escolas públicas já foram paralisadas.

Em entrevista ao R7 o diretor executivo da Associação Brasileira das Escolas Particulares (Abepar), Roberto Prado, explicou que não há um protocolo para os casos em que um aluno é diagnosticado com a Covid-19. Segundo ele, por enquanto, cada escola deve definir sua estratégia para prevenir a disseminação para os demais alunos.

Veja dicas para trabalhar a prevenção do Coronavírus com crianças

A quantidade de informações sobre o coronavírus – entre notícias verdadeiras e falsas – pode levar adultos e crianças ao pânico. É por isso que é tão importante investir em ações práticas para ensinar os pequenos e tranquilizá-los sobre a Covid-19. No caso das crianças transformarem esse aprendizado em algo lúdico é ainda mais acertado, pois aumenta a chance de a criança assimilar as informações.

Confira algumas dicas:

Explique sem rodeios

É importante que as informações principais sobre o Coronavírus sejam repassadas às crianças de forma clara. Elas precisam saber que se trata de um novo vírus, que é transmitido pelo ar e que ao tocar em pessoas infectadas ou superfícies contaminadas e que os sintomas são tosse, febre e nariz entupido. Também é válido explicar que ainda não há uma vacina para tratá-la e, por isso, a prevenção é tão importante.

Use recurso visual

Ao explicar o que é o vírus e como é possível transmiti-lo por contato físico, o professor pode usar recursos visuais. Um exemplo é comparar o vírus a pedacinhos de beterraba e convidar os alunos a tocarem neles ou mesmo nas superfícies onde eles deixaram seu rastro vermelho. Ao olharem para suas mãos, as crianças vão perceber que foram “infectadas” só de tocar na beterraba. Outro recurso disponível gratuitamente é uma cartilha divertida desenvolvida pela psicóloga e professora colombiana Manuela Molina. O material traz uma pequena história do Coronavírus e ensina as crianças como se prevenirem de forma lúdica.

Lavar as mãos brincando

Ensinar as crianças a lavarem as mãos com água e sabão é uma das ações mais importantes na escola infantil. Para incentivá-las a fazer isso, os professores podem desafiá-las a cantar sua música preferida inteira, enquanto fazem a higienização. O correto é ensiná-las a lavar dedos, unhas, mãos e punho sempre com sabão e água em abundância.

Comunicação com a família

 

É importante que a escola se mantenha em contato com a família da criança e, em caso de ela apresentar os sintomas da Covid-19, a gestão escolar deve entrar em contato com os pais imediatamente. Um bom canal de comunicação é essencial nesse momento: conheça a ficha de saúde para a educação infantil!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *