Guia sobre a educação em tempo integral

A educação em tempo integral vai além da ideia de manter o aluno por mais horas dentro da escola. Ela precisa promover a socialização, a integração e estimular a aprendizagem no ambiente escolar.

Por isso, professores e gestores precisam aprender a desenvolver novas atividades na escola de educação infantil e atender às necessidades de cada faixa etária. Há muitos desafios nesse processo, mas que podem ser superados com dedicação e vontade de fazer mais. Que tal entender melhor o conceito e conhecer algumas estratégias que podem ser implementadas? Acompanhe!

Conceito de educação em tempo integral

Segundo o portal do MEC, a educação integral tem o objetivo de promover o desenvolvimento do aluno como um todo. Isso compreende os seguintes aspectos: físico, intelectual, social e psicológico.

Sendo assim, esse modelo tem o intuito de desenvolver a criança de maneira ampla. Ele dá valor ao reconhecimento da estética, aprimoramento de habilidades artísticas e musicais e identificação de aspectos que fazem bem para o corpo.

A educação em tempo integral reconhece que o aprendizado é realizado de maneira contínua e envolve todos os acontecimentos do dia a dia. Nesse sentido, ela abrange tanto o trabalho de educar quanto o cuidado e a atenção às crianças.

Características

Essa metodologia educacional começou a ser implantada em muitas escolas após as mudanças nas políticas de educação do país. O Plano Nacional de Educação (PNE), por exemplo, instituiu o aumento progressivo na jornada das escolas. A intenção é estimular que os alunos permaneçam pelo menos sete horas no ambiente educacional.

Contudo, é necessário compreender que não basta apenas aumentar o tempo de permanência na escola. É fundamental investir em atividades que ampliem o desenvolvimento dos alunos.

Logo, a educação em tempo integral demanda de um investimento em mudanças estruturais e culturais de educadores e gestores. É necessário avaliar o currículo da escola e identificar os recursos educativos existentes. É importante ampliar as ofertas das práticas relacionadas ao desenvolvimento motor dos alunos, bem como do aprendizado sobre cultura, música e expressão.

As escolas também devem contemplar outras áreas fundamentais para o convívio social, como interação entre alunos e professores, consciência ambiental, tecnologias, alimentação saudável e comunicação.

Estratégias de implementação da educação em tempo integral na escola

Para conseguir implantar o ensino em tempo integral, a escola de educação infantil precisa administrar bem seus espaços físicos e seus profissionais. É fundamental investir mais tempo no planejamento pedagógico para aproveitar melhor o período em que o aluno está no ambiente educacional.

Nesse sentido, o gestor precisa trabalhar em parceria com os professores para promover a educação de forma transversal, ao conectar assuntos trabalhados em sala de aula com situações reais. Veja outros aspectos que devem ser considerados na hora de adotar a educação em tempo integral na escola:

Infraestrutura adequada

Ao apresentar a proposta de ensino integral para os pais, o gestor deve estar preparado para organizar as turmas em sala de aula. Afinal, alguns podem se interessar por manter o filho o dia inteiro no espaço, enquanto outros podem preferir que o aluno fique apenas meio período.

Sendo assim, é necessário que a escola tenha uma infraestrutura adequada para ter salas disponíveis para os alunos de período integral e os de meio período, por exemplo. O gestor também deve considerar a disponibilidade dos espaços para oferecer atividades lúdicas, como dança, música e leitura de histórias.

Atividades

Professores e gestores precisam preparar atividades específicas para trabalhar com as crianças que permanecem em tempo integral na escola. Afinal, elas não estão no ambiente apenas para “ocupar o tempo”. Os alunos precisam aprender e desenvolver novas habilidades durante esse período. Confira algumas sugestões:

  • utilizar a tecnologia para educar;
  • criar jogos de encaixe para desenvolver a coordenação motora e o raciocínio;
  • encorajar a higiene bucal;
  • promover jogos de bola entre os alunos para estimular a integração social;
  • incentivar o desenvolvimento da fala com atividades lúdicas;
  • realizar a leitura de histórias para ampliar o vocabulário e desenvolver o imaginário infantil;
  • promover trabalhos musicais para a criança desenvolver ritmo e coordenação motora;
  • buscar parcerias para viabilizar atividades de educação ambiental e cuidados básicos no dia a dia (como não mexer com fogo e não entrar na piscina sozinho, por exemplo);
  • fazer atividades teatrais para desenvolver a imaginação e a comunicação;
  • criar um jardim sensorial para as crianças identificarem objetos e formas etc.

Envolvimento da comunidade

Outra estratégia importante para adotar o ensino integral na escola é buscar a participação dos familiares e da comunidade. É dessa maneira que o gestor poderá conhecer a realidade dos alunos e suas dificuldades, além de identificar novas abordagens que podem ser trabalhadas na escola.

Além disso, os pais podem ser convidados para reuniões e atividades na escola para que possam compreender melhor o universo das crianças, os projetos desenvolvidos em sala de aula e os objetivos de cada proposta.

Essa é uma maneira de integrar a família ao ambiente escolar, promover uma aproximação dos pais com os filhos e melhorar a qualidade da educação.

Riscos e oportunidades desse tipo de educação

A educação em tempo integral pode ser uma oportunidade para a escola, que pode melhorar o seu fluxo de caixa, e também para os alunos, que poderão aprender mais.

Ela também pode favorecer o melhor aproveitamento do espaço, sem aumentar muito os custos da manutenção das atividades. No entanto, se professores e gestores não estiverem preparados para essa mudança, isso pode se transformar em um grande problema e gerar a insatisfação dos pais.

Portanto, é recomendável que a direção invista em cursos específicos para que os professores possam se preparar para esse modelo educacional. Nesses encontros com outros educadores, eles poderão descobrir novas estratégias de ensino e brincadeiras que podem ser aplicadas em sala de aula.

Os gestores também devem participar de cursos e palestras sobre o assunto para que possam ter ideias para a escola de educação infantil.

Diante desse contexto, é possível perceber que a educação em tempo integral pode ser uma vantagem para gestores e alunos. E você, pensa em investir nesse modelo? Deixe seu comentário e compartilhe suas dúvidas e experiências!