O uso do Youtube pelas crianças: potenciais e riscos

Plano de aula segundo a BNCCPowered by Rock Convert

As crianças estão cada vez mais online e isso é uma realidade sem volta. Elas nasceram na era digital e sua habilidade para usar os dispositivos móveis é tão grande que chega a dar inveja nos adultos, que ainda estão se acertando com a tecnologia.

A pesquisa TIC Kids Online Brasil, conduzida anualmente desde 2012 pelo Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br) estimou que, em 2017, 85% da população entre 9 e 17 era usuária de internet no Brasil. O estudo também mostrou outra tendência, que é o uso de celular entre crianças. A porcentagem de crianças e adolescentes entrevistados que utilizam celulares passou de 53% para 93% em cinco anos.

Em meio ao mundo de conteúdo disponível na internet, os vídeos chamam a atenção de forma especial dos pequenos. E é por isso que o uso do Youtube por crianças está só crescendo.

A plataforma chama atenção por seus recursos de audiovisual, pela possibilidade de interação com alguém “real” do outro lado da tela e também porque a diversidade de conteúdo é absurda: as crianças conseguem ver e ouvir sobre coisas que nunca teriam oportunidade se assistissem apenas à televisão.

Fato é que o mundo digital é a nova realidade das crianças e não é incomum que elas perguntem algo ao Google ou ao Youtube antes de perguntar aos pais. Não adianta proibir porque esse é o atual mundo delas e também o do futuro: é com essas plataformas que elas vão interagir como profissionais e também no seu dia a dia na fase adulta.

Mas, quais as consequências desse acesso crescente ainda na infância aos vídeos no Youtube? O conteúdo disponível nessa plataforma ajuda ou prejudica o desenvolvimento delas? Qual o papel da escola nesse cenário? E como compartilhar essa responsabilidade com as famílias? Essas são perguntas que vamos responder ao longo deste artigo.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

O que as crianças assistem no Youtube?

Quem acha que o público infantil está atrás apenas de desenhos animados no Youtube está muito enganado. Eles fazem parte, sim, dos preferidos pelas crianças, mas o conteúdo buscado por elas vai muito além disso.

Em entrevista ao site Gizmodo, a pesquisadora Luciana Corrêa explica que o “YouTube infantil” passou por uma transformação nos últimos anos. Segundo ela, os programas voltados para esse público começaram com um adulto apresentando conteúdo infantil, depois esse adulto começou a aparecer de forma infantilizada e, por fim, vieram as próprias crianças que passaram a ter seus próprios canais.

Ela fez um levantamento, em 2016, e descobriu que dos 100 canais de maior audiência do Brasil, 48 eram voltados a crianças. E eles trazem tanto desenhos, histórias e músicas infantis, quanto conteúdos mais específicos, como os vídeos de unboxing, que mostram as pessoas recebendo e abrindo produtos, principalmente brinquedos.

Há, também, uma diversidade de gincanas; desafios de slime (geléia de brincar); vídeos que mostram jogos eletrônicos; bastidores e rotinas da vida de crianças que têm seu próprio canal e até histórias e músicas que usam as famosas bonecas Babies Alives.

A plataforma de social vídeo Rede Snack fez, em 2018, um ranking com os dez canais mais vistos pelas crianças no YouTube. Veja quais são:

  1.  Canal Galinha Pintadinha

  2.  Turma da Mônica

  3. Rezendeevil

  4.  AuthenticGames

  5.  TotoyKids

  6. Felipe Neto

  7. Luccas Neto

  8. TazerCraft

  9. Erlania e Valentina

  10. Paulinho e Toquinho

Os riscos do uso do Youtube por crianças

Se por um lado, a plataforma pode ser fonte de entretenimento e aprendizado para as crianças, por outro, seu uso inadequado pode trazer consequências negativas.

Um dos principais problemas está no excesso de tempo que a criança passa diante das telas. Isso pode acontecer porque a criança desenvolveu certa dependência, mas também por influência da própria família. Muitos pais não largam seus celulares e, ainda, recorrem ao Youtube como um recurso de distração constante dos filhos.

Os problemas estão associados tanto à saúde física quanto psíquica da criança. Uma criança que só fica no celular não se relaciona com os outros ao redor, não desenvolve outras atividades que estimulam seu desenvolvimento motor e perde a oportunidade de experimentar outros materiais e texturas, que são tão importantes no seu desenvolvimento.

Leia: Desafios da tecnologia na educação

Formação ContínuaPowered by Rock Convert

Há, também, o problema da segurança dessa criança, que pode acabar chegando a conteúdos impróprios ou, ainda, se conectar a desconhecidos mal intencionados. Um exemplo recente de conteúdo danoso é a boneca Momo que apareceu em diversos vídeos do Youtube e assustou muitas crianças.

É bom lembrar, ainda, que quanto mais tempo essa criança fica na internet mais estará exposta a outros riscos, como o cyberbullying e o excesso de publicidade infantil.

É claro que estamos falando de situações de uso descontrolado da plataforma e sem nenhum tipo de restrição dos responsáveis. Mas, não há motivos para se desesperar e achar que a única solução é cortar o Youtube das crianças. Como já dissemos, essa é uma alternativa ineficaz, uma vez que as crianças precisam ter acesso à tecnologia. A solução passa, então, pelo estímulo do uso saudável e pelo monitoramento.

Youtube Kids é uma alternativa

Uma boa solução para os pais e escolas que desejam que suas crianças acessem o Youtube de forma saudável é utilizar a versão Kids desenvolvida pela empresa e disponível em aplicativo. Ela usa filtros, comentários de usuários e revisores humanos para selecionar conteúdo apropriado para esse público.

Além disso, a versão permite que os responsáveis aprovem manualmente os canais e vídeos que as crianças podem acessar. Há, ainda, opções de bloquear conteúdos, controlar as pesquisas, acessar histórico de visualizações e colocar temporizador para definir um tempo de uso da plataforma.

Saiba mais sobre a tecnologia no processo de aprendizagem de crianças autistas e com deficiência intelectual

O Youtube Kids ainda tem a opção de filtros, como o Pré-escolar, que vai até 4 anos, e que disponibiliza vídeos educativos, divertidos e para fomentar a criatividade. Há, também o filtro Júnior, que é para crianças de 5 a 7 anos, e que permite a exploração de temas como músicas e desenhos animados. O último filtro é o Sênior, recomendado para crianças de 8 a 12 anos, e que autoriza a pesquisa por videoclipes, jogos, vídeos de ciências, entre outros.

Embora seja uma solução apropriada para o público infantil, a própria empresa alerta que a plataforma não é imune a erros e, por isso, o monitoramento dos pais deve continuar sendo feito sem tréguas.

Qual o papel da escola?

A escola pode ser uma fonte segura de informações para os alunos e as famílias. É importante que as crianças sejam ensinadas sobre o cuidado com a privacidade de seus dados e o perigo de se conectarem a desconhecidos. Conscientizar os pais sobre a importância do monitoramento dos filhos e uso de soluções protetivas como senhas e o Youtube Kids também é importante para garantir a integridade dos alunos.

Mas, mais que prevenir as crianças do uso inadequado, a escola pode utilizar o Youtube a favor da educação. Veja algumas dicas:

1 – Músicas temáticas

Utilize o recurso de audiovisual dos vídeos no Youtube para chamar a atenção das crianças e facilitar o aprendizado. A plataforma tem diversas opções que ensinam por meio da música. Há canções sobre as letras, sobre as cores, os números, os animais, as partes do corpo, entre muitos outros temas.

2 – Pequenas animações

O Youtube está cheio de animações que trazem enredos com situações diversas e que englobam temas que podem ser trabalhados com as crianças, como respeito, solidariedade, cuidado com o meio ambiente, entre outros. A professora pode convidar os alunos a assistirem à animação e depois fazer uma roda de conversa sobre o tema em questão.

3 – Canais de contação de histórias

Contar histórias é uma atividade primordial na educação infantil e usar o recurso do Youtube para isso pode ser inovador para as crianças. Há muitos canais de contadores de histórias que trazem uma narração cheia de emoção e, em alguns deles, recursos audiovisuais que ajudam as crianças a entrarem ainda mais no mundo da imaginação.

4 – Um dia de youtuber

A professora também pode propor uma atividade especial em que os alunos vão produzir seus próprios vídeos. Eles podem se filmar como uma selfie e viver um dia de youtuber ou, ainda, organizarem alguma apresentação com os colegas e filmá-la. A ideia é estimular a criatividade das crianças e o uso adequado da plataforma.

Capacitação é palavra!

Acompanhar a evolução da tecnologia e estar preparado para as novas abordagens na educação não é tarefa fácil e, por isso, os educadores precisam estar em constante capacitação. Se você tem interesse em receber mais conteúdos como esse, assine nossa newsletter.

Curriculo segundo os campos de experiência da BNCCPowered by Rock Convert

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *