Processo de avaliação na educação infantil: entenda mais!

A criança é um ser social e tem capacidades afetiva, emocional e cognitiva. É na escola, durante a fase da educação infantil, que ela aprende algumas de suas primeiras responsabilidades: os deveres, a socialização e as avaliações. Nesse contexto, entra em cena o processo de avaliação na educação infantil.

Isso porque essa etapa ajuda na formação do pequeno cidadão. Por isso, a avaliação nessa fase deve considerar seu desenvolvimento de forma apropriada. Não basta considerar apenas o desempenho escolar da criança. Outros aspectos devem ser observados para que a avaliação seja o mais completa possível.

Isso porque o processo de ensino-aprendizagem ocorre de forma gradual, contínua, cumulativa e integrativa. Nesse sentido, envolve ações, sentimentos, erros, acertos e novas descobertas. A avaliação, então, serve como auxiliar nesse processo, pois ajuda a criança a acompanhar suas conquistas, dificuldades e possibilidades.

Lei de Diretrizes e Bases (LDB) da Educação, na seção II, artigo 31, item 1, determina que a avaliação deve ocorrer “mediante o acompanhamento e registro do seu desenvolvimento, sem o objetivo de promoção, mesmo para o acesso ao Ensino Fundamental”.

Quer saber como a avaliação na educação infantil pode ser feita? Neste post, aprofundamos o debate acerca do assunto. Acompanhe com a gente!

O papel do professor

O professor participa do dia a dia da criança e acompanha seu desenvolvimento de perto. É ele que tem condição de avaliar como cada aluno se comporta com os colegas, os professores, nas aulas e atividades. Com base nisso, é possível identificar se o aluno tem dificuldade e em qual área isso ocorre.

É o olhar do professor sobre o desenvolvimento da criança que permite fazer o processo de avaliação na educação infantil: organizar as atividades, os materiais oferecidos, as formas de execução e os agrupamentos das crianças. Ele pode prever quais ações podem contribuir para o alcance de objetivos e para a facilitação do aprendizado.

Essa avaliação deve contemplar os momentos em que a criança exercita o aprendizado, interpreta as ações dos adultos e tem a chance de expressar os sentidos que definiu a partir de suas relações. Veja, a seguir, alguns aspectos que devem ser considerados na avaliação na educação infantil!

Formação ContínuaPowered by Rock Convert

Observação e registro

Todas as informações relevantes sobre os alunos devem ser registradas. Especialmente na educação infantil, em que a avaliação deve ser um processo contínuo, é essencial observar os pequenos com atenção e anotar os dados relativos a cada aluno periodicamente. Alguns dos aspectos que devem ser observados são:

  • as características do aluno;
  • sua participação nas atividades;
  • seu grau de autonomia;
  • suas habilidades e dificuldades;
  • seu comportamento nas aulas;
  • como se relaciona com colegas e professores;
  • como reage a conquistas e fracassos;
  • como lida com conflitos e adversidades;
  • quais são seus avanços.

Outras situações do cotidiano, consideradas pertinentes pelos professores, podem ser anotadas e utilizadas no processo de avaliação na educação infantil. Assim, o profissional vai conhecer melhor os alunos e, a partir disso, pode definir estratégias para que eles se interessem mais pelas aulas.

Se não for possível registrar informações sobre todas as crianças da turma diariamente, uma ideia é privilegiar um pequeno grupo a cada dia. Assim, no fim da semana, o profissional terá observado e registrado todas elas.

Conversa com os alunos

Na educação infantil, sempre que for fazer uma avaliação com os alunos, é importante conversar com eles, explicar o que vai ser feito e garantir que eles entendam. Além disso, é essencial conhecê-los bem para não os avaliar sob uma só perspectiva.

O professor deve abrir espaço para o olhar infantil: os pequenos devem ser estimulados a expor o que acham da aula, escola, professor, colegas e outros elementos do ambiente escolar. Essas contribuições dão outra perspectiva à avaliação e ajudam a criança a aprender a se expressar.

Dessa forma, é possível estabelecer uma dinâmica em que não se buscam “erros” e “culpados”. A ideia é que esse processo seja substituído de forma a trazer elementos de crítica e transformação para melhorar o trabalho do professor e o aprendizado do aluno. Todos devem se comprometer com esse contexto.

Preparação de relatórios e portfólios

Para avaliar os alunos, é preciso elaborar relatórios sobre cada um deles no decorrer do período. Essas informações são apresentadas aos pais e devem ser bastante precisas para que permitam descrever e avaliar a criança de forma holística.

Além disso, vale a pena juntar as atividades e os trabalhos entregues pela criança em um portfólio. Além de ser um recurso útil para a avaliação do pequeno, permite comprovar para os pais o que é descrito no relatório e demonstrar o desenvolvimento escolar do aluno.

O processo de avaliação na educação infantil

A avaliação é um instrumento importante para que o professor entenda o contexto da aprendizagem. Afinal, além de apontar como a criança tem se desenvolvido, serve para examinar falhas no aprendizado e o que pode ser feito para corrigi-las.

O processo de avaliação na educação infantil deve ser contínuo: ou seja, a efetividade da aprendizagem precisa ser avaliada durante todo o trabalho. Afinal, o objetivo é o desenvolvimento do aluno em todos os aspectos. Se feito de forma adequada, esse trabalho permite as dificuldades e as habilidades dos pequenos.

É preciso compreender o dinamismo do desenvolvimento infantil para estabelecer uma interação de qualidade entre os professores e os alunos. Isso porque o conhecimento infantil é construído em um movimento constante em que os professores devem assumir o papel de mediadores.

Quando o professor organiza o portfólio de cada criança, deve dar um significado a ele. Não vale a pena coletar os trabalhos apenas como instrumento burocrático. É importante que ele apresente avanços, mudanças conceituais, novas formas de pensar, fazer e se expressar desenvolvidas pelo aluno.

Para que esse processo seja periodicamente avaliado, é preciso que os envolvidos analisem e discutam as possibilidades. Assim, é possível elaborar e, se for o caso, reelaborar o planejamento. Afinal, o processo de avaliação na educação infantil faz parte do aprendizado — ou seja, não é uma forma de punir o aluno.

E você, como tem avaliado os pequenos na educação infantil? Nos temos uma dica que pode te ajudar nessa tarefa. Que tal ter um planejamento eficiente, personalizável e gratuito? Baixe já seu plano de aula gratuito!

Plano de aula segundo a BNCCPowered by Rock Convert

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *