A importância do registro de atividades e do desenvolvimento na educação infantil

Plano de aula segundo a BNCCPowered by Rock Convert

Todo professor da educação infantil já viveu os intensos dias do fim do ano quando chega a hora de entregar os relatórios com o registro de atividades realizadas e a análise do desenvolvimento dos alunos.

É nesse momento que surgem muitas dúvidas: no turbilhão de informações disponíveis, quais delas considerar nesse documento? Que tipo de material faz sentido anexar? Qual a participação da família e da própria criança nesse processo? E por que, afinal, é tão importante fazer isso?

A verdade é que essas são perguntas que a escola precisa fazer logo no início do ano. Pense bem: são questionamentos que guiarão toda a lógica de registro de atividades e de desenvolvimento dos alunos durante o ano letivo. Então, se há um momento para defini-los é antes das aulas começarem!

Com os parâmetros de observação definidos, o educador terá um mapa em mãos para saber exatamente o que registrar. Facilitará muito o seu trabalho no fim do ano!

Além disso, é muito importante que ele tenha clareza sobre a importância desse registro. Não se trata apenas de uma prestação de contas à família ou de uma exigência burocrática da escola. A análise e documentação do desenvolvimento da criança é essencial para o sucesso do seu aprendizado.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

Por que o registro de atividades é tão importante?

A observação direcionada dos alunos e o registro de atividades realizadas têm mais de uma função na educação infantil. Uma delas está relacionada à documentação em si. Estamos falando do histórico do desenvolvimento da criança e é muito importante que isso esteja registrado de forma sistemática e detalhada.

Esse documento pode ser valioso em processos em que o aluno precise dessa análise, seja para avaliação do seu desenvolvimento ou por questões de saúde.

Outra função importante desses registros é a comunicação com a família do aluno. A criança passa boa parte do seu tempo na escola e é lá que ela adquire habilidades e aprende muitas coisas. É de suma importância que as famílias acompanhem esse processo, entendendo como o aluno foi conduzido àqueles aprendizados, como os absorveu e se desenvolveu.

A observação e documentação do desenvolvimento da criança também são as principais ferramentas para avaliar os alunos na primeira infância. Nessa fase não se aplica provas e nem se pode reter a criança em níveis de aprendizado, mas isso não quer dizer que não é possível avaliá-las.

Leia também: Avaliação na educação infantil: como aplicá-la de maneira lúdica?

Aqui, o principal objetivo da avaliação é entender as especificidades de cada criança para ajudá-las a aprender em seu tempo, a partir de suas habilidades.

Entenda melhor: cada criança tem uma forma de absorver conhecimento e é por isso que é tão importante que o professor a observe. Na medida que ele entende os gatilhos de aprendizado daquele aluno, suas preferências e habilidades, os pontos em que tem mais dificuldade, ele pode personalizar o ensino.

E por que é fundamental escrever e documentar? Porque é só a partir desse exercício que o professor terá informação sistematizada e organizada para criar o melhor plano de ensino.

Pense bem: não adianta observar, tirar algumas conclusões na hora e depois esquecer ou misturar na cabeça as informações de um aluno com outro. Registrar é essencial para tirar conclusões reais e agir com eficiência.

Formação ContínuaPowered by Rock Convert

É muito comum também que o educador seja surpreendido por seus próprios registros e mude a forma como lida com um aluno. Um exemplo é quando a escola tem uma criança agitada, indisciplinada e difícil de lidar.

Se o professor só observa essa característica de forma superficial pode tirar conclusões inadequadas sobre a criança. Mas se voltar aos seus próprios registros pode descobrir uma criança com algum transtorno de aprendizado ou, quem sabe, um histórico familiar difícil. Ao entender melhor aquele aluno, o educador pode mudar sua forma de ensinar e obter muito mais sucesso.

Você sabe como fazer os registros de atividades? Confira dicas!

Planejamento é a palavra de ordem quando o assunto é registro de atividades na educação infantil. É que não adianta documentar tudo o que acontece na escola: o educador precisa de um plano sobre o que registrar!

Isso deve ser feito logo no início do ano com a equipe pedagógica. Deve-se definir os principais objetivos de aprendizagem e desenvolvimento para os alunos de cada faixa etária. Dessa forma, o professor consegue fazer as observações de forma guiada e não mais aleatoriamente.

Quer um exemplo prático? Se a definição da equipe pedagógica é que os alunos daquela turma precisam desenvolver a coordenação motora fina, então o professor vai propor atividades que estimulem essa habilidade. Consequentemente ele vai avaliar como a criança manuseia os objetos, a forma que desenha, pinta ou faz atividades de encaixe, por exemplo.

Veja como organizar o currículo segundo os campos de experiência da BNCC

É importante que o registro do professor inclua tanto as competências já alcançadas pelo aluno, quanto aquelas que ele ainda está desenvolvendo. Se o aluno apresentar muita dificuldade com algum tipo de atividade também é válido tomar nota dessa informação e acompanhar esse processo.

Uma forma facilitada para organizar os processos de observação e registro é dividir a turma em grupos. O professor pode analisar de forma separada esses grupos, estabelecendo uma semana de análise para cada. Isso pode ajudá-lo a não se confundir com tantas crianças e nem se perder em meio às análises.

Veja mais algumas dicas práticas:

Faça perguntas

Observar os alunos pode se tornar uma tarefa sem muito sucesso se o educador não tiver de onde partir. Por isso fazer perguntas pode ser uma ótima forma de guiar sua observação e seu registro.

Algumas perguntas interessantes são: quais as características mais marcantes do aluno? Qual a sua principal habilidade? Há alguma atividade que ele não demonstra interesse ou tem dificuldade? Como ele se relaciona com os colegas e o professor? Como reage em situações de conflito? Quais foram os seus avanços?

Não faça tudo sozinho

O registro de atividades na educação infantil é feito basicamente pelo educador, mas isso não impede que ele considere a participação da própria criança e da família no relatório. O professor pode estimular a criança a se autoavaliar, assim como considerar informações que venham dos pais para deixar o registro ainda mais rico e ajudá-lo a ter uma visão mais sistêmica do aluno.

Seja específico

Ao escrever sobre o desenvolvimento de cada aluno é importante que o texto seja personalizado e reflita exatamente o perfil de cada criança. Não é aconselhável usar expressões genéricas como “a criança se desenvolveu muito” ou “o aluno fez boas interações”. É necessário detalhar como foi esse desenvolvimento, quais os parâmetros para justificar esse “muito” e que tipo de interações ele fez.

Use a tecnologia ao seu favor

Registrar todas as informações e se comunicar com a família do aluno pode ficar muito mais fácil com um sistema adequado para isso. Para ajudar as escolas nessa tarefa a AIX disponibiliza o aplicativo Extra Classe, que envia mensagens e notificações automáticas aos alunos e seus responsáveis. Ele é conectado ao WGiz, que é um sistema de gestão que ainda conta com o portal do aluno e o portal do professor que também otimizam registro de informações e comunicação.

 

Curriculo segundo os campos de experiência da BNCCPowered by Rock Convert

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *